Mais Categorias
Policial

Morta com mais de 42 facadas, "Caso Beatriz" está prestes a ser esclarecido

Polícia Civil diz que tem estrutura necessária para esclarecer o crime, que foi consumado em 2015 durante uma festa de formatura escolar em Petrolina, no Sertão de PE

Polícia Civil diz que tem estrutura necessária para esclarecer o crime, que foi consumado em 2015 durante uma festa de formatura escolar em Petrolina, no Sertão de PE
REDAÇÃO 21/07/2019 184
    Compartilhe:

A Polícia Civil de Pernambuco emitiu uma nota na última sexta-feira, 19, afirmando que tem a estrutura necessária para desvendar o caso do assassinato da menina Beatriz Angélica Mota, em 10 de dezembro de 2015.

Mesmo mais de três anos após o crime, ninguém foi preso. De acordo com a Polícia Civil, o inquérito conta com 19 volumes e mais de 4 mil páginas com diligências sobre o caso que "desafia pela complexidade".

Na última quinta-feira (18), um mandado de busca e apreensão foi cumprido na casa de Alisson Henrique Carvalho, ex-prestador de serviços do colégio onde a criança foi assassinada. Ele é suspeito de ter apagado as imagens de câmeras de segurança da escola.

Na nota divulgada, a polícia diz ainda que Pernambuco tem uma das melhores taxas de resolução de homicídios do Brasil, 6,7 vezes maior que a média nacional.

A Polícia Civil afirmou que a delegada Polyana Neri foi designada para tratar exclusivamente do caso, com equipe de policiais e estrutura necessária, além de contar com o apoio do Ministério Público e da Diretoria de Inteligência da PCPE.

Também foi apontado como um dos avanços do caso a divulgação da imagem do suspeito, resultado do trabalho de peritos do Instituto de Criminalística para possibilitar a visualização das características do homem.

A polícia disse ainda que tem a "plena confiança" que o caso será elucidado, "trazendo justiça e paz para os familiares e amigos de Beatriz". Detalhes da investigação não podem ser repassados porque o trabalho corre sob segredo de justiça.

Relembre o caso
Beatriz Mota, então com 7 anos, foi assassinada com 42 facadas no dia 10 de dezembro de 2015, dentro de uma sala desativada no colégio particular em que estudava. A festa de formatura da irmã mais velha da criança era realizada na instituição de ensino e havia várias pessoas no colégio. Em um dado momento, a menina afastou-se dos pais para beber água e não voltou mais. O corpo foi encontrado cerca de 30 minutos depois.

  • Nenhuma tag encontrada
Notícias Relacionadas
Comente com o Facebook
Ofertas